CADASTRE-SE

P A S
 

Programa de Acompanhamento Sistemático TESE Prime


Um número crescente de empresas têm exigido que seus colaboradores melhorem seu domínio na língua inglesa e, para isso, o que importa mesmo é saber qual o nível real de domínio em inglês do colaborador independentemente da escola de inglês em que ele(a) está estudando.

As avaliações fornecidas pelas escolas de idiomas informam os resultados de provas referentes ao conteúdo ministrado, o que não é suficiente para informar a faixa de proficiência em que o colaborador se encontra neste momento e em que faixa estará em seis meses ou um ano.

Além disso, caso a empresa tenha convênio com mais de uma escola, as notas das provas e relatórios de frequência terão muito pouco a dizer sobre o real nível dos colaboradores. Afinal, como comparar uma nota 7,0 da Escola X com uma nota 5,5 da escola Y?

 

O Impacto dos Exames (Efeito Retroativo)

Todos nós sabemos que uma prova pode afetar a atitude de um aluno, pois pode levá-lo a estudar mais e a prestar mais atenção às aulas.

Um exame externo influencia a aprendizagem de forma contundente: a existência do exame leva os alunos a fazer coisas que não fariam se não fosse pelo exame, como se dedicar mais ao curso e buscar materiais extras (revistas, livros, filmes, etc.). O resultado disso é uma maior eficácia do processo de aprendizagem e menor tempo total despendido no processo.

 

ETAPAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DO PAS

1. Estabelecer parâmetros comparáveis: o Quadro Europeu Comum de Referência (CEFR - Common European Framework of Reference)

O Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR doravante) é usado para descrever o nível de proficiência em línguas estrangeiras. Seu objetivo principal é fornecer um método de avaliação e ensino que possam ser aplicados a todos os idiomas.

Os seis níveis de referência têm sido utilizados mundialmente para atribuir faixas ao nível de proficiência em línguas das pessoas avaliados.

O CEFR divide os aprendizes/usuários em três grandes grupos, com duas subdivisões cada:


A Usuário Básico (Basic User)

A1 Iniciante (Breakthrough)

A2 Elementar (Waystage)


B Usuário Independente (Independent User)

B1 Limiar (Threshold)

B2 Vantagem (Vantage)


C Usuário Proficiente (Proficient User)

C1 Proficiência Operacional Efetiva (Effective Operational Proficiency)

C2 Maestria (Mastery)

 

Devido à sua abrangência, o CEFR tem servido como referência para compreensão dos níveis de proficiência em uma língua estrangeira. Hoje faz mais sentido, portanto, afirmar que certo indivíduo tem “nível B2” do que dizer que ele obteve “pontuação 75 no Exame ou na Escola X”. Da mesma forma, é comum estabelecer objetivos linguísticos baseados nesta classificação.

O CEFR descreve o que um usuário-aprendiz supostamente é capaz de fazer em termos de produção oral, compreensão oral, produção escrita ou compreensão escrita.

 

2. Estabelecer objetivos

      Profissionais com nível de proficiência nas faixas A1 ou A2 (Usuário Básico) não possuem domínio que lhes permite interagir em inglês, seja na forma escrita ou na forma oral. Conseguem no máximo “sobreviver” ou “se virar”, mas com claras limitações.

       A partir do nível B1, o profissional se encontra na faixa Usuário Independente, ou seja, já tem condições de interagir em inglês com certo nível de confiança e autonomia.

Normalmente as pessoas têm mais dificuldade em passar do nível A2 para B1 do que de B1 para B2. Isso se explica pelo fato de que adentrar a faixa Usuário Independente consiste em um grande salto no nível de proficiência.

Assim, o PAS busca traçar estratégias para saber (1) em que faixa os colaboradores se encontram no momento e (2) acompanhar o progresso ao longo do tempo de modo que atinjam ou superem as faixas B1/B2.

 

3. Etapas básicas para implementar o PAS

a) Determinar quais são os colaboradores que farão parte do programa e agendar uma aplicação do exame de proficiência de quatro habilidades PEICE (Proficiency Exam for International Communication in English) para que se tenha um panorama do nível atual de domínio da língua inglesa (valor de referência). Dependendo da área de atuação da empresa, podem também ser aplicados exames especificamente de leitura ou de leitura e escrita.

b) Com base nos resultados do primeiro exame, são estabelecidas metas realistas para as próximas aplicações, que podem ocorrer semestralmente ou anualmente.

c) As aplicações podem ocorrer na própria empresa ou em Centros Autorizados TESE Prime.

 

Para mais informações sobre o PAS e sua implementação, entre em contato com a TESE Prime:

contato@teseprime.org